quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Tema: A promessa da salvação

Saudações: Graça e Paz eleito e amados irmãos, que nessa noite querida Deus muito vos abençoe.

Texto: (Mateus 1.21)

Introdução: A promessa da salvação é para nós a mais preciosa de todas as promessas das escrituras. Ela é a maior prova da benevolência de Deus e de seu infinito amor para com o homem ao providenciar-lhe o meio eficaz para que esse fosse redimido dos seus pecados e obtivesse a certeza da vida eterna (João 5.24; 6.47). Essa é a sublime promessa que abre porta para o cumprimento de todas as demais promessas de Deus em nossas vidas.

A necessidade da promessa, a razão da promessa.

A queda como registrada em Genesis, trouxe transtornos e males irreparáveis para a raça humana (Genesis 3.17.19; gálatas 3.21). Toda natureza passou a sofrer as consequências do pecado, que introduziu a morte no mundo e destitui o homem de sua perfeita comunhão com o criador(Genesis 3.16.19). Esse é o efeito mais dramático da desobediência de nossos primeiros Pais, já que Deus não os criou para morte, mas para a vida. É tanto que a luta pela sobrevivência é algo inato em qualquer ser humano. Sua expulsão do jardim do Éden, todavia é o símbolo perfeito dessa perda (Genesis 3.22.24).

O propósito da promessa.

A promessa divina da salvação compreende: A) a redenção do homem da escravidão do pecado; B) a restauração da sua comunhão com Deus e C) a segurança da vida eterna com o Senhor na glória (João 5.24; 10.28.29). Qualquer pecador pode ser salvo aqui e agora. Basta apenas arrepender-se de seus pecados e crer na suficiência da graça manifestada em Cristo. (Romanos 10.8.10).
A salvação implica, portanto viver continuamente na presença de Deus experimentar a sua graça aqui e agora e permanecer desfrutando de comunhão perfeita quando chegarmos ao céu. Desse modo, o continuo e crescente relacionamento é o ponto culminante da promessa da salvação.

O caráter universal da salvação.

A promessa da salvação foi feita indistintamente a todos. Esta é a razão pela qual o evangelho precisa ser pregado a todos os povos (Mateus 28.16.20). A universalidade da promessa não significa, todavia, que todos serão salvos ao acaso. A vontade de Deus e que todos obtenham a salvação e cheguem ao conhecimento da verdade (1 Timóteo 2.3.4)

Conclusão: O importante é que tudo já está pronto e preparado por Deus, mediante a encarnação do verbo divino e seu perfeito sacrifício expiador, que não exige de nós nada em troca, a não ser, a nossa convicta fé NELE para salvação.

Tema: O reino de Deus      

Saudações: A paz do Senhor amados e queridos irmãos em Cristo, nosso Senhor, bem aventurados são vocês anunciadores das boas novas do evangelho. Amé       

Texto: Mateus 12.28. Mas, se eu expulso os demônios pelo Espírito de Deus, logo é chegado a vós o reino de Deus.

Introdução: O reino de Deus (ou dos Céus) no presente significa Deus intervindo e predominando no mundo, para manifestar seu poder, sua glória, e suas prerrogativas contra o domínio de satanás e a condição atual deste mundo. Trata-se de algo além da salvação ou da Igreja: é Deus revelando-se com poder, na execução de todas as suas obras.
O reino de Deus é um reino desembaraçado de qualquer elemento terrestre, ele não é uma teocracia religio-politica, não estar vinculado ao domínio social ou político sobre as nações ou reinos deste mundo. João 18.36. O reino de Deus é antes de tudo, a manifestação visível do seu pleno poder. Mc 9.1. DIZIA-LHES também: Em verdade vos digo que, dos que aqui estão alguns há que não provarão a morte sem que vejam chegado o reino de Deus com poder.
 E 1 Co 4.20. Porque o reino de Deus não consiste em palavras, mas em poder.

Durante sua infância, daí por diante, será que Jesus já sabia da dimensão da magnífica obra que ele tinha no reino para realizar? Lc 2.49. E ele lhes disse: Por que é que me procuráveis? Não sabeis que me convém tratar dos negócios de meu Pai?
E você meu irmão, qual a sua concepção do reino de Deus. O que significa para você? Será que você tem se esforçado em trabalhar para o avanço do reino na terra?
Em Mateus 11.12. E, desde os dias de João o Batista até agora, se faz violência ao reino dos céus, e pela força se apoderam dele.

Jesus revela novos fatos sobre a natureza dos membros do reino. Ali ELE disse que somente quem se esforça apodera-se do reino de Deus. Os tais, movidos por Deus, resolvem romper com as praticas pecaminosas e imorais do mundo, e sequem a Cristo, a sua palavra e os seus justos caminhos. Não importando o preço a pagar, esses resolutamente, buscam o reino com todo o seu poder.

Conclusão: 

O fato de Deus irromper sobre o mundo com poder, abrange: A) seu poder divino sobre o governo e domínio de satanás (Jo 18.36.) Respondeu Jesus: O meu reino não é deste mundo; se o meu reino fosse deste mundo, pelejariam os meus servos, para que eu não fosse entregue aos judeus; mas agora o meu reino não é daqui.
B) o poder para curar os enfermos e operar Maravilhas ( atos 4.30) Enquanto estendes a tua mão para curar, e para que se façam sinais e prodígios pelo nome de teu santo Filho Jesus.



         Tema:   Aprovado em quase tudo...      
Saudação: A paz do Senhor amados e queridos irmãos em Cristo, nosso Senhor, bem aventurados são vocês anunciadores das boas novas do evangelho.                                                           
Texto: "Ruben, tu és meu primogênito, minha força e as primícias do meu vigor, o mais excelente em altivez, e o mais excelente em poder. Impetuoso como a água, não serás o mais excelente, porque subiste ao leito de teu pai e o profanaste; subiste a minha cama" (Gn 49:3-4).·.

Introdução: Ruben era o filho mais velho de Jacó, assim, por nascimento, tinha o direito de primogenitura, o que lhe conferia porção dobrada da herança de seu pai e a liderança sobre a descendência da família. Sem duvida, ser o primogênito era algo de grande valor. Porém, por ter cometido um erro muito serio, perdeu esse privilégio para seu irmão José (1cr 5:1-2). Sua historia é um alerta para todos os que amam a Deus e desejam servi-lo. Ruben era uma pessoa forte, capaz e ativa. Alem disso, demonstrava um cuidado especial por seus irmãos (Gn 37:20-22; 42:36-37). Mas, apesar dessas demonstrações, Ruben foi desqualificado e perdeu seu premio, pois não cuidou de um aspecto muito importante: as paixões da carne.
"Aconteceu, depois destas coisas, que a mulher de seu senhor pós os olhos em José e lhe disse: Deita-te comigo. Ele, porem, recusou e disse a mulher... como, pois, cometeria eu tamanha maldade e pecaria contra Deus?" (Gn 39:7-9).  

O texto acima mostra a experiência de José. Ele foi tentado diariamente pela esposa de seu patrão, Potifar. Mas, ao contrario de Ruben, que cedeu aos desejos impuros, tendo relações com a concubina de seu pai (Gn 35:22), José resistiu ao pecado e fugiu. Por isso José ainda foi acusado injustamente, sendo lançado na prisão (Gn39: 39:10-20). Veja que situação! José foi desprezado por seus irmãos e vendido (Gn 37:25-28). Depois, trabalhando na casa de Potifar, por não ter aceitado contaminar-se com relacionamento sexual ilícito, foi condenado ao cárcere. Aparentemente, vemos uma grande injustiça, mas, na verdade, Deus estava preparando José para que este se tornasse o administrador do Egito (41:38-40).·.

Assim vemos uma grande diferença na vida desses dois irmãos. Ruben era muito bom, mas talvez não tenha imaginado o prejuízo que um momento de prazer, pecaminoso, iria trazer-lhe. Com José, porém, a historia foi outra. Ele teve um sonho de que iria tornar-se um rei (GN 37:5-11). Por ter sido fiel a essa visão, ele sofreu perseguição, incompreensão e injustiça, mas depois seu sonho tornou-se realidade. Por fim, na hora de premiar seus filhos, Jacó retirou o premio de Ruben e concedeu-o a José.·.

Com certeza, Ruben deve ter ficado muito decepcionado com o que aconteceu. Lamentavelmente, não houve como reverter àquela situação. E quando a nós hoje? Pela misericórdia de Deus temos a Bíblia para nos alertar. Assim, já sabemos antecipadamente qual será o resultado de não atentarmos para essa questão das paixões da carne. Sabemos que, na época em que vivemos, o sexo tornou-se fácil e sem restrições. A sociedade esta preocupada apenas com os índices da AIDS, mas não pensa em moral e em pecado.

Por incrível que pareça, entre muitos cristãos, o assunto tem sido "namorar", "ficar" e "divorciar-se". Esses não se importam com o juízo dos crentes (1co 3:10-15; 6:9, 15-20). Assim, devemos ter clareza e ser firmes como José, a fim de não perdermos nossa simplicidade e pureza devidas a Cristo (2co 11:3b).

Precisamos ser aqueles que fogem das paixões da mocidade e seguem a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor (2tm 2:22). Procedendo assim e estando cheios do Espírito e da vida divina, quando o Senhor voltar, não correremos o risco de ser como Ruben: muito bom em quase tudo, mas reprovado.


Tema: Santuário de Deus.



Saudação: Graça e paz amados do Senhor, escolhidos são vocês, para juntos serdes proclamadores do evangelho do nosso Salvador e Rei; Jesus Cristo. Que nesta noite Deus muito vos abençoe. Amém.

Texto Bíblico: 1 Coríntios 3.16.
Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?

Introdução: E maravilhoso servi o Senhor, não temos dúvida disto, e quanto mais o conhecemos isso se torna surpreendente. Aproximamos-nos de Deus, nossas fragilidades aparecem e juntamente com elas o canal da Graça e Misericórdia que é incessante em nosso favor. Deus é surpreendente e com isso nos surpreende a cada dia demonstrando seu Amor.

Se fosse possível enumerar o favor de Deus (seu amor para conosco), o texto acima ficaria na segunda posição (opinião do autor), da iniciativa de Deus para resgatar o homem do pecado, da vida promiscua que outrora levávamos. Rm 3.23. Não tem como ser templo de Deus, se em primeiro plano olhar para cruz e reconhecer Jesus como Senhor. Escrevendo aos romanos 10.9, Paulo testificar a necessidade de se confessar com a boca o senhorio de Cristo, e credes com o coração. A morte e ressurreição de Jesus é o divisor da minha e da sua história, 2 Co 5.17.

O evangelista João disse: E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Jo 8.32. ELE é a verdade, Jesus; outrora não tínhamos este conhecimento, éramos inimigos, longe do Senhor andávamos como diz a letra da canção. Mesmo nestes caminhos distantes o Amor de Deus nos resgatou e nos trouxe para sua maravilhosa luz, porque antes andávamos em trevas; guiados pelo nosso próprio senso, influenciados pelo nosso adversário, já pensou nisto. Através da pregação do evangelho a luz raiou em meio às trevas, e as escamas caíram, louvado seja o nome do Senhor.

Temos a vida eterna, se assim cremos; já estaria tudo maravilhoso, espetacular. Rm 10.11. Mas outro favor de Deus, nos fazer morada do Altíssimo, morada do Espírito Santo; como está escrito acima. Você que está lendo esta carta pastoral, você é morada de Deus, não se esqueça, Deus escolheu você para morar, você sim é o templo de Deus. Após termos este conhecimento nos cabe uma pergunta; o que temos feito com o templo de Deus? É para refletirmos, se somos escolhidos, Deus tem algo a fazer em nossas vidas, uma transformação está acontecendo, creio que você não é mais o mesmo, permiti essa transformação não endureça seu coração.

Que o Espírito de Deus continue inundando vossas vidas, de graça e amor e também misericórdia, para que possamos passar adiante, refletir de maneira que o nosso semelhante perceba o mover e transformação de Deus, o que o evangelho é capaz de fazer, você e prova viva do agir de Deus. Assim me despeço no amor de Deus. Amém.





Tema: Que terra quer ser?


Saudação: Graça e paz amados; Bendito seja o nome do Senhor e consumador da nossa fé , Jesus Cristo, filho de Deus. Amém.

Texto bíblico: E falou-lhe de muitas coisas por parábolas, dizendo: Eis que o semeador saiu a semear. E, quando semeava, uma parte da semente caiu ao pé do caminho, e vieram as aves, e comeram-na; E outra parte caiu em pedre
gais, onde não havia terra bastante, e logo nasceu, porque não tinha terra funda; Mas, vindo o sol, queimou-se, e secou-se, porque não tinha raiz.  E outra caiu entre espinhos, e os espinhos cresceram e sufocaram-na. E outra caiu em boa terra, e deu fruto: um a cem, outro a sessenta e outro a trinta. Mateus 13.3.8.

Introdução: Nesta parábola, Jesus nos ensina o poder do conhecimento e como podemos ser roubados. Esta é uma estratégia maligna, nos roubar o conhecimento, para que afastemos de Jesus e de sua vontade maravilhosa para nossas vidas. Precisamos aprender com esta parábola a não sermos roubados. A interpretação desta parábola é: Jesus o semeador, a semente é a palavra de Deus, enquanto os tipos de solo (terra) são os homens.

Sementes a beira do caminho.

Jesus ensina que sementes do conhecimento da palavra podem ser roubadas pelo maligno. Essas sementes estavam á beira do caminho, ou seja, Jesus está falando de pessoas que não estão em seu caminho, até já ouviram falar, estão próximas, talvez até frequentem a igreja, mas não estão verdadeiramente em cristo. ELE se apresenta: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vai ao Pai, senão por mim.” João 14.6. Por isso o maligno tem condições de roubar essas sementes, as pessoas que as recebem estão fora do caminho.

Sementes entre pedras.

Outras sementes caem entre pedras. Estas sementes não podem frutificar, por que não podem criar raiz. As pessoas que são como terreno pedregoso são pessoas que não buscam a profundidade do conhecimento de Deus, elas estão rasas, e logo suas sementes morrerão. Exemplo: o Feijão no algodão nos tempos de escola.

Sementes entre espinhos.
Outro terreno que Jesus compara com os homens, são os espinhos. Você pode imaginar uma semente dar fruto entre os espinhos? Na própria explicação da parábola, Jesus esclarece: espinhos são pessoas que ouvem a palavra, mas os cuidados do mundo as aprisionam, e por isso não podem frutificar. Jesus declarou: “quem quiser vir após mim, negue-se, tome sua cruz e siga-me.” Lucas 9.23. Contudo, a parábola fala de pessoas que são como espinhos. Na rosa, o espinho tem a função de proteger, mas pessoas que são como espinhos estão querendo proteger seus próprios interesses se fecham em si mesmas, em suas verdades e convicções e por isso não conseguem frutificar a palavra de Deus em suas vidas.

Sementes em terra fértil.
Por fim Jesus descreve pessoas que são como a terra fértil, essas segundo a palavra,ouvem,compreendem e dão frutos, e os frutos são multiplicados, uma única semente pode gerar cem, sessenta ou trinta frutos. Vemos que nem todos conseguem dar seu fruto. A terra boa, que dá essa colheita abundante, deve ser nosso coração de discípulo, que procura aprender mais Dele, e abre mão de seus próprios interesses, dos prazeres do mundo para viver com Jesus. Aquele que viver desta maneira será considerado uma terra fértil e dará muito fruto.

Conclusão.
Com a parábola do semeador, fica claro que todos tem a oportunidade de aprender a palavra da verdade. Veja que o semeador saiu a semear sementes, ele não ficou escolhendo em que tipo de solo era mais apropriado ou mais merecedor para receber as sementes. O que diferenciou na hora da colheita, é que alguns desprezaram a sementes, enquanto outros entenderam que esta semente de conhecimento é a que dá frutos para vida. Nesta parábola o semeador está nos perguntando: qual tipo de terra você escolhe ser; a que está à beira do caminho, entre pedras, espinhos, ou a terra boa que dá frutos? O que tem te impedido de ser terra fértil, o jardim de Deus?






Tema: Salvação; um dom gratuito de Deus.


Saudações: A paz do Senhor amados e queridos irmãos em Cristo, Senhor nosso; que nessa noite única e singular Deus muito vos abençoe.

Texto: Romanos 6.23.                

Introdução: Deus o ama e deseja que você saiba que a salvação não é pelas obras, é um dom. O caminho da salvação erguido por Deus é receber a Cristo pessoalmente, confiando NELE somente para nos salvar. Não podemos fazer-nos “dignos” da Graça de Deus. Salvação é um dom gratuito ao indigno, ao que não merece, e todos nos estamos nesta categoria. (Cristo morreu pelos ímpios). Romanos 5.6. E efésios 2:8.9.

Necessitamos de uma nova natureza!

O Senhor deseja que você saiba que há somente um caminho para salvação, e esse é mediante o nascer de novo. João 3:7 “importa-vos nascer de novo.” João 1:2 diz-nos como! “Mas a todos quanto o receberam, deu lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; a saber, aos que creem no seu nome”. Aceitar a Jesus é a única maneira de nascer de novo. Não somos filhos de Deus por natureza. Devemos receber a Cristo a fim de nos tornarmos filho de Deus.
A salvação é instantânea. No momento em que nos arrependemos que deixamos nossos pecados e nos voltamos para Jesus, somos salvos de maneira instantânea. (Lucas 23.43) uma resposta instantânea de salvação ao clamor confiante do ladrão.
O Salvador eterno deseja que você saiba que a salvação é si males. (Romanos 10:13) porque todo aquele que invocar o nome do Senhor, será salvo. Essa é taxativamente a recompensa da palavra de Deus para todos aqueles que desejam ardentemente a salvação eterna.
A realidade de sua salvação mostrar-se em sua reação, de amor em obediência ao seguir a Jesus Cristo. (João 14.23.) ”Se alguém me ama, guardara a minha palavra.” Se você realmente foi salvo, você obedecerá! Entre outras, isto significa que você saíra da frieza espiritual, e seguirá ao Cristo Bíblico.

Condições de salvação

A expressão condições da salvação significa o que Deus exige do homem a quem ele aceita por causa de Jesus Cristo e aquém dispensa as bênçãos do evangelho da graça. As escrituras apresentam o arrependimento e a fé como convicções da salvação; o batismo nas águas é mencionado como símbolo exterior da fé interior do convertido.


Conclusão: 
O plano salvifico de Deus é completo. Ainda que muitos procurem dicotomiza-lo, ELE permanece claro e acessível ao homem. Todo o processo de salvação é garantindo pelo criador. “Interpretações desta ou daquela forma não comprometem os resultados”. ”O evangelho é o poder de Deus e salvação para todo aquele que crê”. O plano é divino sem interferência do homem,

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013


http://www.pulpitocristao.com/wp-content/uploads/2012/10/Crian%C3%A7as_halloween.jpg
Por Jáder Borges
Chegamos na cidade de Minneapolis no mês de outubro e o final do outono anunciava que um rigoroso inverno viria pela frente, com possibilidades de tempestades de neve. À medida que o mês ia passando, casas e lojas iam intensificando as decorações do “Halloween”, o tradicional “dia das bruxas”, quando pregar peças nos outros em forma de sustos e festinhas embaladas com vampiros dançando com múmias, fica liberado. Crianças percorrem casas perguntando algo como “travessuras ou doces?”, e assim, todos esperam a noite cair, para que monstros e abóboras desfiguradas comandem a festa, ao som de muito agito, “Halloween”. O que esta palavra significa? A Funk and Wagnalls New Encyclopedia informa que este termo é aplicado à noite que precede o “dia de todos os santos”, uma espécie de abreviação-referência de “Allhallows Evening” (uma tradução mais literal de “Allhallows Evening” seria: “Noite de todos os consagrados”…).
Estão brincando com coisa séria…
A onda do Halloween vem crescendo no Brasil, levantada por centenas de cursos de inglês, escolas com fortes influências americanas, seriados de TV e por muitos jovens que tiveram contato com a América, seja através de estudo ou intercâmbio, e que têm fascínio pela cultura norte-americana. Na comemoração do Halloween, o que se escuta como justificativa é que este é um dos meios mais divertidos de se passar um pouquinho mais a cultura daquele país para os interessados e que tudo não passa de uma divertida e diferente aula de inglês, ou de sociologia, simplesmente carregada na maquiagem e nas sombras. Seria “brincadeira” mesmo? De onde vem o Halloween?
A “brincadeira” do Halloween não tem nada de brincadeira na sua origem. Quando se busca no tempo e na história, nesta época do calendário, os druidas (espécie de feiticeiros, antigos sacerdotes entre os gauleses e bretões), costumavam erguer fogueiras para invocação de Saman, o senhor da morte! Pelo menos outros quatro espíritos também eram invocados, com a finalidade de se consultar sobre o futuro ou sobre coisas ocultas. O povo celta também acreditava que nesta data os espíritos dos mortos voltavam à terra para visitar os lares durante a noite. Os romanos, após conquistarem a Grã-Bretanha, adotaram para si as crenças do Halloween, num de seus festivais rituais, em honra à deusa Pomona, senhora das frutas e das árvores.
Como podemos ver, a fonte dessa “brincadeira” traz consigo rituais e invocações a espíritos, tanto de demônios, como de mortos, coisas estas que a Palavra de Deus, a Bíblia, enfaticamente recomenda para não serem feitas, sob grande risco de tremendos distúrbios emocionais e espirituais. A Bíblia diz para não brincarmos e nem mexermos com o oculto, exatamente porque não existe nada de divertido nas densas trevas espirituais, de onde o Halloween se origina (veja Dt.18.9-14; 20.17,18; Is. 8.19; etc). Todos nós sabemos que quem brinca ao volante de um carro, pode se machucar seriamente; que quem brinca com fogo, pode se queimar… e, que quem brinca com uma arma, pode tombar, vítima de um disparo avassalador. Portanto, não brinque com práticas e representações que se aproximam daquilo que Deus avisou para não ser copiado, ou ridicularizado. As penas poderão ser muito duras.
Ora, irmão, deixe de exagero…
Vampiros, múmias, duendes travessos, fantasmas, feiticeiras e diabinhos; muitos diabinhos…. tudo infernalmente e “divertidamente” fantasiado… Que mal há nisto? Estes e muitos outros ícones do mal estão deixando de assustar as pessoas hoje em dia, e nem o velho diabo assusta mais. Evolução dos tempos? Não. Involução espiritual. O povo se distanciou da Palavra de Deus e penetrou por muitos caminhos, grande parte deles escuros e perigosos. Hoje, brinca-se com o diabo, porque não se acredita mais nele. Jesus Cristo sempre acreditou no diabo e teve com ele e suas hostes, grandes batalhas. O Filho de Deus sempre considerou sua astúcia e terrível maldade, sendo a única Autoridade a quem o diabo teme. Por que brincaria eu com o diabo, se nas páginas da Bíblia ele não tem nada de divertido? Ridicularizaria eu uma cascavel prestes a dar o bote?! Cutucaria uma onça com vara curta, estando a jaula aberta? Rapaz e moça… não brinquem com o diabo, pois ele não brinca com vocês. O que ele quer é devorar vidas! (1a Pe.5.8). Não se aproxime de qualquer ícone do mal nem se fantasie dele, sob o risco de sofrer terríveis perturbações espirituais, de origens demoníacas. Nem Jesus desacreditou da existência do diabo, e nem os anjos o fazem, por que faríamos nós? “Contudo, o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo… não se atreveu a proferir juízo infamatório contra ele; pelo contrário, disse: O Senhor te repreenda!” (Jd. v9). Quem nos informa isto é a Bíblia, a Palavra de Deus. E a Palavra de Deus não mente.
Depressões profundas, ideias suicidas, afundamento nos vícios, bárbaros assassinatos cometidos por jovens, escutar sons de gargalhadas horripilantes e vozes do além pela casa, tudo isso vem acontecendo com milhares de jovens em todo o mundo, que um dia ousaram “brincar” com o diabo ou com ícones a ele associados, e caíram, vítimas de seus laços mortais. Perderia Saman, tido como o senhor da morte, a primeira oportunidade de matar? Acredito que não. (“Saman” é um dos nomes com os quais Satanás se disfarça).
Finalizando, o meu conselho e incentivo é para que você não embarque nesta onda de “Halloween”, só porque a sua escola, ou a sua turma está fazendo tal festa. Professores, lembrem-se que também compete a vocês zelaram pelo bem-estar dos alunos. Não os empurre para iniciações com o mundo das trevas, nem por brincadeira! Desistam de qualquer “brincadeira” do Halloween enquanto ainda é tempo, pois ninguém precisa de Halloween para se divertir, exatamente por não haver diversão em maldições. O que todos nós precisamos é de seguir Jesus Cristo, para sermos verdadeiramente felizes.
Portanto, não vá com os outros, nem que os outros formem multidão. A história está repleta de casos em que a multidão estava completamente desnorteada, pagando um alto preço por causa disso. No caso específico do Halloween, muitos adolescentes e jovens entraram nessa “brincadeira” sem saber das profundas armadilhas espirituais escondidas por trás da “diversão” e hoje sofrem grandes tristezas. Jovens, não deem ouvidos à voz do povo, pois isso nem é bíblico, e trata-se de uma tremenda armação. A voz do povo nunca será a voz de Deus, ainda mais quando empurra pessoas para práticas que Deus condena! A Bíblia é que é a Voz de Deus! Escute o que ela diz: “Não seguirás a multidão para fazeres o mal”… (Êx.23.2a). “Então, perguntou Jesus aos doze: Porventura, quereis também vós outros retirar-vos? Respondeu-Lhe Simão Pedro: Senhor, para quem iremos? Tu tens as palavras de vida eterna” (Jo 6:68).
***
Jáder Borges Filho é pastor da Igreja Presbiteriana do Jardim Satélite, em São José dos Campos (SP), e foi secretário geral do Trabalho com a Infância da IPB (2006-2010). Estudou no Seminário do Recife e na Theologisches Seminar Ewersbach, na Alemanha. Promove o Congresso Infantil Primeiros Passos, voltado para quem trabalha com crianças, EBD e departamentos infantis.
Fonte: Editora Fiel, via Bereianos.
Postado por PASTOR MARCELO às 10:33 http://img1.blogblog.com/img/icon18_email.gif