sábado, 24 de dezembro de 2011

Um filme que se repete no Natal: “Esqueceram de mim”


http://4.bp.blogspot.com/-naqCToJ9Bl4/TvR-LVEsqlI/AAAAAAAAGVA/YCndNfPyVFk/s200/esqueceram%2Bde%2Bmim.jpg

Um menino é esquecido por sua família em plena época do Natal. Qual é o nome do filme? Fácil:Esqueceram de mim. Quem não se lembra das peripécias do “indefeso” garotinho Kevin, que, ao ser esquecido em casa sozinho por seus pais, teve de se defender de dois bandidos atrapalhados?

Não há como nos esquecermos dessa engraçada produção de 1990, estrelada por Macaulay Culkin. Afinal, nessa época natalina, esse filme sempre é reapresentado por algum canal de TV, não é mesmo? Mas, neste artigo, desejo mencionar outro Menino que vem sendo esquecido a cada ano...


Estou em São Paulo. E, ontem, minha família e eu fomos à iluminada Avenida Paulista, a fim de vermos as decorações e apresentações do Natal. Fiquei decepcionado... Não por causa do congestionamento, da multidão e da chuva, pois isso já era esperado. A minha decepção maior se deu por não ter encontrado nenhuma (nenhuma, mesmo!) alusão ao Natal de Cristo!


Andando pela linda Avenida Paulista, vi luzes, estrelas, duendes e gnomos coloridos, Papais Noéis de todos os tipos, danças, apresentações teatrais... Mas, e o Menino? Se pudéssemos entrevistar o Senhor Jesus e perguntar-lhe a respeito do Natal, creio que Ele responderia: “Esqueceram de mim”.

Sim, a humanidade se esqueceu da linda história do Natal de Cristo e substituiu-a por fábulas sem graça, sem vida, sem brilho, a despeito das luzes e cores. Em Jeremias 23.27 está escrito: “Os quais [falsos profetas] cuidam que farão que o meu povo se esqueça do meu nome, pelos sonhos que cada um conta ao seu companheiro, assim como seus pais se esqueceram do meu nome, por causa de Baal”. Pensei exatamente isso, ao andar pela principal avenida de São Paulo: “Querem fazer com que as pessoas se esqueçam definitivamente do Menino”.


Não somos deste mundo, mas vivemos nele. Como servos do Senhor, temos liberdade para admirar as invenções humanas dessa época natalina. E elas, de fato, são encantadoras, iluminadas, engenhosas, surpreendentes. Mas que Deus nos guarde de, influenciados pelo espírito do Anticristo prevalecente neste mundo tenebroso, nos esquecermos do verdadeiro sentido do Natal.


Vejo crentes (inclusive, alguns pastores) mal-instruídos dizendo que não vão comemorar o Natal, pois se trata de uma festa pagã. Onde eles aprenderam isso? Se tem um povo que deve fazer questão de celebrar o Natal, esse é a Igreja de Cristo! Mesmo sabendo que Jesus não nasceu em 25 de dezembro, não podemos deixar de aproveitar essa data para lembrar o mundo daquela sublime noite!


Que privilégio tiveram aqueles pastores de Belém, envolvidos pela glória de Deus, enquanto guardavam seu rebanho... Mas a mensagem outorgada a eles é extensiva a toda a humanidade: “Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo, pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor” (Lc 2.10-12).


Não nos esqueçamos, portanto, de que Jesus é Salvador, Cristo e também Senhor. E, por isso, jamais deve ser ignorado ou esquecido. Não ajamos como os crentes de Laodiceia, que deixaram Jesus do lado de fora (Ap 3.20). Ele continua batendo à porta dos corações e dizendo: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada” (Jo 14.23).


Celebremos o nascimento de Cristo, para que o mundo conheça o verdadeiro protagonista do Natal!

Extraído do blog do Ciro...

Nenhum comentário:

Postar um comentário